Livros e Chocolate Quente


Livros e Chocolate Quente


Literatura Nacional, Vamos Conhecer?

Posted: 30 Apr 2017 05:00 AM PDT


Olá , tudo bem com você?

Hoje é dia de conhecer mais um livro nacional :  

"Crisálida"



Madrugada de 1947. Caterina acorda em um cemitério, sem saber ao certo o que a levou até ali, e passa a desenterrar as dolorosas lembranças de sua vida. Dez anos atrás, ela começava a quebrar as amarras de seus infortúnios por ser pobre e sombria, criando sonhos e esperanças com a ajuda de João Miguel de Albuquerque, irmão de sua melhor amiga e filho do proprietário da fazenda que futuramente será também seu lar. Juntos, eles descobrem que a amizade pode se tornar o pior dos amores e que a paixão desmedida só é capaz de ter como fim a agonia.
Cansada e com medo do que seu sentimento pode lhe causar, Caterina se rende ao lendário espírito da macabra Árvore Sangrenta, que é capaz de realizar qualquer desejo. Contudo, há um preço a ser pago… A vida da desafortunada filha do caseiro tem uma reviravolta, então, e ela pode finalmente ter tudo que sempre quis. Mas, será que Caterina deveria ter feito o pacto?

Confira agora o bate papo com a autora:

Nome: 
Larissa Adur Fontes

Idade: 
20 anos
Cidade Onde Mora: 
Moro no Rio de Janeiro.
Como surgiu a ideia de escrever "Crisálida" ? 
Começou em uma sexta-feira treze, quando eu tinha dezessete anos. Naquela noite, eu escrevi o conto da Árvore Sangrenta, que meses depois me deu inspiração para escrever os personagens de Crisálida. As duas histórias se passam no mesmo local, uma complementa a outra; mas só publiquei Crisálida. E, apesar de já ter tido algumas ideias na época, o livro só foi realmente, completamente, escrito mais de um ano depois. Eu me inspirei bastante nos pesadelos que tinha quando mais nova.
Quanto tempo demorou para a história ficar pronta?
A última versão dela - sim, Crisálida tem várias versões inacabadas - foi escrita em duas semanas. Mas, não posso considerar isso, pois me demorei bastante imaginando e trabalhando os personagens em minha mente, conhecendo o lugar e suas histórias... Logo, cerca de um ano.
O que o leitor pode esperar de "Crisálida" ?
Eu já me fiz muito essa pergunta e nunca sei realmente o que se pode esperar. É a história de uma mulher que teve um início de vida difícil, mas que, na minha opinião, teve certa sorte depois. Não é um livro de terror, apesar do pacto com a Árvore Sangrenta, e muito da narrativa pode ser considerada poético e figurativo. Creio que o leitor que aceitar a Caterina, certamente crescerá e aprenderá com ela.
"Crisálida"  tem chances de virar uma série?
Eu tenho muita vontade de continuar a história, pois imaginei e tenho escrito muito mais do que há no livro. Tanto o passado quanto o futuro do lugar e dos personagens que protagonizam - ou apenas passam pelas páginas - de Crisálida não são um mistério para mim e ainda conversamos de vez em quando... Talvez, um dia, eles decidam deixar de ser um pequeno mistério para os leitores também. Mas, creio que seja mais possível escrever esses trechos em contos. Não sei... Tudo depende do que será o futuro.
Você tem algum autor ou autora ou livro preferido que de alguma maneira te inspirou a escrever "Crisálida" ?
Emily e Charlotte Brontë me inspiraram muito. Durante as duas semanas que reescrevi Crisálida pela visão da Caterina, que acabou se tornando a versão final e o livro que podemos ler agora, lembro-me de olhar para a pintura da Charlotte toda noite antes de dormir. Tenho muito carinho pelas duas irmãs e, de certa forma, escrevi a história para elas também. 
Minhas preferências literárias também entram aqui, creio. Eu sempre li muitos clássicos ingleses, brasileiros e portugueses... Posso ter adquirido algo - ou muito - deles, tanto como leitora quanto como escritora. Sendo Crisálida o meu primeiro romance, essa formação deve ter sido bem decisiva.
Se "Crisálida" pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria?
Acho que "Ne me quitte pas" é perfeita. A canção é linda, já foi interpretada por vários artistas - da época da bisavó e modernos também (eu prefiro a versão da Maysa e a original de Jacques Brel, apesar de antigas) - e combina com Crisálida do início ao fim. Mas, eu acrescento na lista a música "Butterfly" (essa é nova, sua bisa ainda não conhece!), da banda coreana  Sogyumo Acacia Band - quando ouvi pela primeira vez, senti Caterina nas notas e nos versos. E, ainda, acrescento "Café a Dois" da Ana Larousse (também recente).
Eu tenho uma playlist para Crisálida no meu canal do YouTube (https://www.youtube.com/channel/UCN3s1niGtYefv9F1nzvGBNw).



Links: 
Butterfly: https://www.youtube.com/watch?v=aoKNQF2a4xY
Ne me quitte pas: https://www.youtube.com/watch?v=8gtOXoXeWQc (pela Maysa)
Café a dois: https://www.youtube.com/watch?v=fUJfEbJ9roo


Você segue carreira apenas como escritora ou tem outra profissão?
Eu estou estudando Direito.
Deixe uma mensagem para nossos leitores.
Querido (a) leitor (a),
A palavra Crisálida simboliza algo que está em seu estado latente, algo que se prepara para se revelar, é o estado intermediário das borboletas e mariposas entre o que foram - lagartas - para o que se tornarão. Assim também é o livro. Eu e Caterina crescemos juntas, permita-se vestir a pele dessa menina e crescer com ela também. Seja um leitor perspicaz e carinhoso ao mesmo tempo. Corra na chuva com ela, chore as lágrimas dela, permita-se lembrar de suas próprias experiências e do seu primeiro amor e também da primeira queda. Quando Caterina se apaixonar por João Miguel, apaixone-se também! E, depois, pode me procurar e me contar como foi a experiência. Vamos metamorfosear juntos! 


Quem estiver interessado em ler o seu livro onde pode comprar?
Pode comprar pela livraria da Editora Multifoco ou comigo mesma.

 
Espero que tenha gostado de conhecer mais uma autor nacional !


Beijos 


Até mais!
 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Badge