Giro UOL Especial: 'Vitória de Trump indica país dividido', analisa professora da Unifesp

Conteúdo Recomendado

Giro UOL Especial
Moderninha
 
Veja análises e as principais notícias sobre a eleição de Trump nos EUA
Um país dividido
Jim Watson/ AFP
Quando, em junho do ano passado, Donald Trump anunciou que estava entrando na corrida republicana à Casa Branca, poucos o levaram a sério. E na madrugada de hoje ele se tornou o 45º presidente dos Estados Unidos. Apesar das pesquisas contrárias, o empresário derrotou a democrata Hillary Clinton. No discurso de vitória, Trump se comprometeu a "renovar o sonho americano" e fez um apelo para a união do país dizendo que será "o presidente de todos os americanos."

O UOL conversou sobre as repercussões dessa guinada à direta nos EUA com Cristina Pecequilo, professora de Relações Internacionais da Unifesp, e com Rubens Barbosa, ex-embaixador do Brasil nos EUA entre 1999 e 2004. Para Cristina, "a vitória de Donald Trump indica um país dividido e os próximos meses serão um reflexo dessa divisão." Apesar da aparente cisão, para Barbosa, se "formos levar ao pé da letra" o que Trump disse no discurso da vitória, "ele vai tentar fazer um esforço para de alguma maneira superar as profundas divisões que foram mostradas durante a campanha." Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no   Twitter | Compartilhar no   Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
 
Relação com o Brasil
Pedro Ladeira/Folhapress
O presidente Michel Temer afirma que a vitória de Trump não muda em nada a relação entre o Brasil e os EUA. Em entrevista à rádio Itatiaia, o chefe de Estado brasileiro disse que a relação dos EUA com os demais países é institucional.

O porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, disse que a carta de Temer parabenizando Trump já foi enviada ao presidente eleito dos EUA. Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
 
A reação pelo mundo
Doug Mills/The New York Times
A vitória do republicano Donald Trump já está repercutindo no mundo político. O novo presidente dos Estados Unidos já recebeu os parabéns do presidente russo Vladimir Putin e da primeira-ministra britânica Theresa May que disse que o Reino Unido e os EUA 'continuarão parceiros fortes e próximos'.

Além deles, o polêmico presidente filipino, Rodrigo Duterte, reconheceu o magnata como novo líder americano. Já o francês François Hollande declarou que a vitória de Trump abre um período de incertezas. Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
 
E o muro?
Arte/UOL
O ex-presidente mexicano Vicente Fox afirma que o país não vai pagar pelo muro que Trump prometeu construir na fronteira entre os dois países para conter o fluxo de imigrantes.

O muro entre EUA e México foi uma das principais bandeiras da campanha do empresário norte-americano, que ainda reforçou que a obra seria paga pelo governo mexicano. Leia mais
Compartilhar no   Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
 
Estado palestino fica para trás
Shutterstock
Naftali Bennett, ministro da Educação de Israel, integrante da coalizão governamental e chefe das fileiras do lobby dos colonos judeus, afirmou que a ideia de criar um Estado palestino coexistente com Israel está superada depois da vitória de Donald Trump nas eleições americanas.

Segundo ele, a entrada de Trump no governo dos EUA oferece a Israel a possibilidade de renunciar imediatamente à ideia da criação de um Estado Palestino. Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no   Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
 
O que pode mudar
AFP
O governo Trump pode anular algumas das maiores realizações de Barack Obama, incluindo o Obamacare (a lei da reforma da saúde), a política em relação às mudanças climáticas e o acordo nuclear com o Irã.

Muitos analistas ressaltam que há uma diferença grande entre promessas de campanha e política oficial. Compromissos assumidos em relação a questões de política externa, como transferir a embaixada dos EUA em Israel para Jerusalém, às vezes são deixados de lado. Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
 
 
PATROCINADO POR:
Moderninha
 
Baixe o aplicativo UOL:   Apple Store Google Play
UOL Facebook Twitter Pinterest Instagram Snapchat: @uoloficial
Se deseja cancelar o recebimento da newsletter do Giro UOL, clique aqui.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Badge