Livroterapias

Conteúdo Recomendado

Livroterapias


Escolha uma Peculiaridade - Semana Especial Crianças Peculiares

Posted: 13 Oct 2016 11:30 AM PDT


Olá Leitores.
Continuamos com a Semana Especial Crianças Peculiares promovida pela Editora Intrínseca e seus parceiros e hoje é a despedida do Livroterapias. Nosso desafio hoje é responder "Se vocês tivessem que escolher uma peculiaridade, qual vocês escolheriam? Por quê?". Difícil né? Mas ajudarei vocês nessa escolha.
Vamos conhecer um pouco mais?



Quem nunca sonhou em ter algum superpoder? Eu já quis de tudo: Voar, ser invisível, ler mentes, transformar coisas em metais preciosas, congelar as coisas...por aí vai. 

Quando me perguntaram qual peculiaridade eu escolherei, me veio à mente diversas opções. Seria bom ter o dom de Jacob, pois poderia me proteger e também aos que estão ao meu redor.

Emma também tem seu charme. Produzir fogo é algo que os humanos buscam desde os primórdios e é vital para nossa existência.

Ser forte com nossa amiga Bronwyn me deixaria mais independente, mas não é a peculiaridade que gostaria de ter. Também não arriscaria ter o dom de Enoch e ressuscitar pessoas brevemente. Além do sofrimento, confesso que teria medo.

O medo também não me deixaria escolher o dom de controlar as abelhas, do nosso Hugh.

Já como bastante e se tivesse as duas bocas de Claire, seria um verdadeiro estrago.

Gosto da natureza e poderia sim escolher o dom de controlá-la assim como a Fiona.

Já vivo com a cabeça nos ares e seria difícil ser literalmente assim com a Olive.

Confesso que é bastante tentador ter o dom do Horace. Quem não gostaria de ter sonhos premonitórios? Prever o que está por acontecer me ajudaria muito!

Não me sinto tão nobre a ponto de escolher ser uma Ymbryne como Srta Peregrine.

Dessa forma, dentre as diversas peculiaridades que escolheria a pertencente a Millard Nullings: Invisibilidade e Conhecimento do mundo dos peculiares.

Ser invisível tem lá suas vantagens. Entrar e sair dos lugares, conseguir coisas e informações, proteger-se dos perigos, entre tantas outras opções. Claro que também há um lado negativo, mas certamente seria superado pelos benefícios desse dom.

Além disso, estou sempre estudando. Desde que me entendo por gente não parei de estudar e saber que Millard é um grande conhecedor dos peculiares me faz querer ser como ele.

Confesso que não foi uma escolha fácil, pois se eu pudesse, misturaria as peculiaridades de Jacob, Emma, Horace e Millard e me tornaria uma #SuperPeculiar hahahaha.

Agora que vocês já conhecem a minha escolha, eu vos pergunto:
Se vocês tivessem que escolher uma peculiaridade, qual vocês escolheriam? Por quê?
Podem imaginar à vontade! Nem precisa ser apenas essas que exemplifiquei aqui. Vale qualquer coisa, mesmo!

Estou curiosa para conferir as respostas de vocês ;)

Encerro esses post agradecendo à Vanessa, da Editora Intrínseca, pelo convite tão especial! Essa história é uma das minhas favoritas e foi muito bom contribuir um pouquinho para essa semana peculiar.

Abraços e até mais.

Resenha: Belgravia, de Jullian Fellowes

Posted: 13 Oct 2016 04:46 AM PDT





BELGRAVIA
Autor: Jullian Fellowes
Editora: Intrínseca
Páginas: 368

Sinopse: Uma nova saga histórica, fascinante e irresistível, repleta de segredos e escândalos
Ambientada nos anos 1840, quando os altos escalões da sociedade londrina começam a conviver com a classe industrial emergente, e com um riquíssimo rol de personagens, a saga de Belgravia tem início na véspera da Batalha de Waterloo, em junho de 1815, no lendário baile oferecido em Bruxelas pela duquesa de Richmond em homenagem ao duque de Wellington.
Pouco antes de uma da manhã, os convidados são surpreendidos pela notícia de que Napoleão invadiu o país. O duque de Wellington precisa partir imediatamente com suas tropas. Muitos morrerão no campo de batalha ainda vestidos com os uniformes de gala.
No baile estão James e Anne Trenchard, um casal que fez fortuna com o comércio. Sua bela filha, Sophia, encanta os olhos de Edmund Bellasis, o herdeiro de uma das famílias mais proeminentes da Bretanha. Um único acontecimento nessa noite afetará drasticamente a vida de todos os envolvidos. Passados vinte e cinco anos, quando as duas famílias estão instaladas no recente bairro de Belgravia, as consequências daquele terrível episódio ainda são marcantes, e ficarão cada vez mais enredadas na intrincada teia de fofocas e intrigas que fervilham no interior das mansões da Belgrave Square.
Olá Leitores.
Não sou a maior fã de romances de época, mas não pude resistir a Belgravia.
Posso afirmar que ele virou um parâmetro do gênero na modernidade.
Vamos conhecer um pouco mais?


Belgravia, de Jullian Fellowes é uma saga contada em 11 capítulos, originalmente publicados semanalmente em e-book, repletos de reviravoltas e sempre com um final surpreendente – uma homenagem à tradição dos folhetins emprestada agora ao livro digital.

Duas famílias: Ambas perdem seus filhos muito jovens e sofrem com as marcas deixadas por essa tragédia. Mas também escondem um segredo capaz de causar um grande escândalo o transformar a vida de todos para sempre.

Tudo começa em 1815, quando a Duquesa de Richmond decide dar um baile e entre os convidados estão uma família simples: os Trenchard.  O motivo da presença deles se dá ao fato de Edmund Bellasis, o herdeiro de uma das famílias mais importantes da época, estar interessado por Sophia, uma jovem de beleza inigualável. Mas aquela noite ficaria marcada na memória de todos os presentes, pois com a notícia de que Napoleão invadiu o país, muito precisaram ir à batalha e terminaram morrendo vestidos roupas de gala.

Os anos passam, chegamos à 1840 e a sociedade mudou bastante. Dentre as muitas coisas que as batalha trouxeram, uma delas foi o êxito de James e Anne Trenchard que agora moram em Belgravia, um do melhores lugares da época. Apesar de tudo o que conquistaram, eles convivem com a dor da perda de sua filha Sophia e ainda precisam guardar um segredo que se viesse a tona, arruinaria tudo o que eles possuíam.

Uma das famílias mais importantes é a de Lady Caroline Brockenhurst. Ela vive uma vida luxuosa e confortável, possuindo tudo o que deseja, exceto um herdeiro. Acontece que ela perdeu seu único filho há anos e ele não lhe deixou netos. Sua rotina incluía oferecer chás e em um deles ela teve um encontro com Anne Trenchard.

O interesse de Caroline por Anne é porque esta estava presente no fatídico baile que vitimou tantas pessoas. Ela gostaria de saber mais detalhes daquela noite tão cruel. Mas, ela descobriria que existem mais coisas em comum com aquela mulher do que ela poderia imaginar. E quando um segredo lhe é confidenciado, a vida dessas duas família se unirão para sempre.


Belgravia é um livro completo. Um genuíno romance de época!

Começo falando sobre a ambientação maravilhosa, uma sociedade de época, que preza pelos costumes e pela aparência, mesmo que para isso preciso esconder segredos que possam gerar escândalos e intrigas. Fellowes soube nos transportar para dentro da trama e acompanhamos de perto tudo o que acontece.

A narrativa é perfeita. Com uma escrita impecável, acompanhamos o desenrolar dos fatos desde o inicio, com a marcação temporal bem definida e desenvolvimento da personagens dentro da trama. Conflitos, intrigas, armações, relevações estão presentes em quase todas as relações. O interessante aqui é que, diferente do que encontramos na maioria dos romances de época, o romance não é o tema central, mas sim um grande segredo.

As personagens são complexas e lineares. Percebemos o cuidado na criação da personalidade e ligações de cada um deles, desde os principais até os secundários. Cada um tem seu papel dentro da trama e vivem dentro de uma verdadeira teia.

O desfecho é um tanto previsível, mas não menos interessante. O autor optou por guardar as grandes emoções para o final o que deu um "up" na história que vinha de capítulos com ações mais especulativas e menos práticas.

Apesar de não poder revelar para vocês qual é esse segredo, quem tiver o prazer de ler o livro, saberá logo nos primeiros capítulos e só acompanhará o desenvolvimento e luta da família para protegê-lo. Um recurso bastante inteligente de Fellowes.

A edição da Editora Intrínseca está caprichada. Originalmente, esse livro foi publicado em 11 folhetos, com um por semana, no formato de e-book. Uma homenagem a forma de publicação da época em que se passa a história. Mas o sucesso foi tão grande que decidiram reunir todos em um livro, com uma edição caprichada e linda capa.

Aliás, para quem não sabe, Julian Fellowes é o autor da série Downton Abbey <3 Quem já é fã não pode deixar de ler esse livro e para quem ainda não conhece o estilo do autor, vale a pena arriscar, pois você encontrará temas envolventes e elementos que tornam essa história um verdadeiro clássico.

Leitura mais que recomendada.
Gostaram de Belgravia:?
Curtem romances de época?
Comentem!

Abraços e até mais.

Seja Peculiar #StayPeculiar - Semana Especial Crianças Peculiares

Posted: 13 Oct 2016 06:50 AM PDT


Peculiar
Significa que é característico, especial, algo que é próprio de uma pessoa ou coisa.
Olá Leitores.
Dando continuidade a Semana Especial Crianças Peculiares promovida pela Editora Intrínseca e tendo em vista que hoje o tema é livre, aproveito para falar um pouca de uma das mais bonitas mensagens que captei ao acompanhar essa série tão diferente: A peculiaridade.

Ransom Riggs nos apresentou um universo completamente diferente ao escrever O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Humanos com habilidades excepcionais que os tornam, de certa forma, excluídos da sociedade, são os protagonistas dessa história e que juntos irão ensinar muitas coisas ao leitores.

Estive pensando que cada um de nós também somos peculiares. Claro que não temos superpoderes, ao menos eu não, mas se partimos da definição que o dicionário nos dá, com certeza nos enquadramos nesse conceito.


Pensemos juntos: Qual habilidade eu tenho me diferencia da maioria das pessoas ao meu redor? Eu por exemplo posso falar algo que é comum a todos que estão lendo esse post: O amor pelos livros. "Ah, Rizia, mas muitas outras pessoas também gosta de ler e blá, blá, blá". Mas, por outro lado, muitos também não gostam e todos os dias uso essa minha "habilidade" para influenciar pessoas. E vem dando certo. E tenho certeza de que algo em você é capaz de ajudar o outro.

Ser peculiar é ser diferente, mas não significa ser único. Riggs nos mostra como cada peculiar que ele criou precisa ajudar ou outro para juntos viverem em harmonia e se protegerem dos perigos. E sabe o que mais? Em O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares percebemos que nenhum é peculiar é melhor ou mais importante que o outro.


Dentre tantas outras mensagens, é bonito ver como Ransom Riggs nos despertou para o diferente. Como humanos, tendemos a ver o que é diferente como uma coisa ruim e isso, na maioria das vezes, não é verdade. Muito pelo contrário. É preciso ver o belo no outro.

Gosto de leituras que nos transformam. E essa série com certeza deixará marcas para sempre. Em tempos tão difíceis é sempre bom termos histórias que nos façam refletir e nos ensinem a compreender e respeitar o que é ímpar.

E faço um convite a todos: Seja Peculiar. Deixe o que é característico, especial, algo que lhe é próprio floresça e encante todos ao seu redor. 

Abraços e até mais.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Badge