Giro UOL Especial: a queda de Dilma Rousseff

Conteúdo Recomendado

Giro UOL Especial
Veja a repercussão e as principais notícias sobre o impeachment de Dilma Rousseff - 31/08
O impeachment de Dilma
Ueslei   Marcelino/Reuters
Por 61 votos a 20, o Senado aprovou o impeachment de Dilma Rousseff, do PT, que deixa a Presidência da República em definitivo. A presidente foi condenada sob a acusação de ter cometido crimes de responsabilidade fiscal, as chamadas 'pedaladas fiscais' no Plano Safra, e os decretos que geraram gastos sem autorização do Congresso Nacional.

Apesar da cassação do mandato, a agora ex-presidente manteve os direitos políticos. Em votação separada, 42 senadores decidiram pela perda dos direitos políticos contra 36 – eram necessários que dois terços dos parlamentares (54) votassem a favor da medida. Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
Temer assume
Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Quase três horas após o final do processo de impeachment, o ex-vice-presidente e até então presidente interino, Michel Temer (PMDB), tomou posse em definitivo na Presidência da República.

Temer chegou ao Congresso acompanhado de aliados, dos presidentes das duas casas legislativas, Renan Calheiros (PMDB-AL), do Senado, e Rodrigo Maia (DEM-RJ), da Câmara, e do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski. No caminho até o plenário do Senado, ouviu-se alguns gritos de "presidente Temer". Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
"Nós voltaremos"
Pedro Ladeira/Folhapress
Em pronunciamento no Palácio do Alvorada, em Brasília, a ex-presidente Dilma Rousseff afirmou que o impeachment é um "golpe parlamentar" e promete fazer forte oposição ao governo Michel Temer (PMDB).

"Eles pensam que nos venceram. Haverá contra eles a mais determinada oposição que um governo golpista pode sofrer. Essa história não acaba assim. Nós voltaremos", afirmou Dilma. Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
Novos capítulos?
Geraldo Magela/Agência Senado
Tanto a defesa de Dilma quanto senadores favoráveis ao impeachment de Dilma vão recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal). O advogado da ex-presidente, José Eduardo Cardozo, vai entrar com recursos contra o afastamento definitivo de Dilma.

Já o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) disse que vai recorrer da decisão que permitiu ao Senado votar separadamente as penas impostas a Dilma. Ela teve o mandato cassado mas, em uma segunda votação, os senadores rejeitaram aplicar a proibição para que ela ocupasse cargos públicos pelos próximos oito anos. Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
Fragilidade política
Ailton de Freitas / Ag.   O Globo
O impeachment de Dilma Rousseff reforça a fragilidade do sistema político brasileiro e a necessidade de uma reforma para sair do 'prostíbulo' em que a política se encontra no país.

Essa é a opinião do blogueiro do UOL Josias de Souza, que avalia também que Michel Temer vai ter muito trabalho na Presidência, já que assume o governo com um grande índice de rejeição e com a necessidade de tomar medidas impopulares. Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
Exceção histórica ou regra?
André Dusek/Estadão Conteúdo
Com o impeachment, Dilma se torna o sexto presidente eleito no Brasil a não terminar o mandato. Entre os outros cinco presidentes, um morreu, um se suicidou, outro foi deposto e outros dois renunciaram ao cargo.

Em 127 anos de regime republicano, apenas 12 brasileiros foram eleitos pelo voto direto, tomaram posse e governaram até o final, incluindo Dilma no primeiro mandato. Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
Repercussão no exterior
Reprodução
Jornais internacionais também destacaram o impeachment de Dilma, mas ponderam que o fato está longe de resolver os problemas do país. Para o jornal americano The Washington Post, a longa duração do processo – de nove meses – pode ter servido apenas para alienar mais os eleitores já desencantados com o sistema político.

Já o Wall Street Journal afirma que investidores podem estar dando muito crédito a políticos do país e desconsiderando os problemas econômicos. Leia mais
Compartilhar no Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
Agora na oposição
Wilson Junior/Estadão Conteúdo
A cúpula do PT vai discutir na sexta-feira (2) como será feita a oposição ao governo do agora presidente efetivo, Michel Temer.

Uma das medidas estudadas pelo partido é ir às ruas e defender novas eleições, em uma tentativa de encurtar o mandato do peemedebista. Leia mais
Compartilhar no   Facebook | Compartilhar no Twitter | Compartilhar no Linkedin | Compartilhar no Pinterest | Compartilhar por E-mail
Baixe o aplicativo UOL:   Apple Store Google Play
UOL Facebook Twitter Pinterest Instagram Snapchat: @uoloficial
Se deseja cancelar o recebimento da newsletter do Giro UOL, clique aqui.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Badge