Fome de Livros

Conteúdo Recomendado

Fome de Livros


Saciando a Fome #148

Posted: 03 Jul 2016 06:59 PM PDT

Opções bem variadas.


Celebrando diferentes gêneros literários, essa semana está variada do nosso "fantasia-distopia" de sempre. Fração de Segundo (Kasie West - Seguinte) é uma ficção científica, o segundo de uma série que estou adorando. Eu Sem Você (Kelly Rimmer - Arqueiro) é meio que uma surpresa, não sei bem do que se trata, mas já estou preparando lencinhos. Catacomb (Madeleine Roux - Plataforma 21) faz parte de uma série de suspense/terror que parece bem assustadora, especialmente se julgarmos pelas capas, Adeus, Promessas ( Kristin Halbrook - Plataforma 21) é um contemporâneo que lida com temas delicados como abuso e Como Procurar Um Cachorro Perdido-  por Rosa Roward (Ann M. Martin - Plataforma21) conta a história de uma menina autista e seu cachorro.


Minha lombada predileta essa semana é a de Fração de Segundo, simples, porém muito bonita.

Últimas Resenhas:
Talvez Um Dia - Colleen Hoover 50
Sangue de Dragão - Rachel Hartman 32
A Guardiã de Histórias - Victoria Schwab 38
Não Fale Com Estranhos - Harlan Coben 40
O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias 28 a 50
Confiram as resenhas de Talvez Um Dia e Não Fale Com Estranhos, adoramos os livros!

Mini Resenhas #4 - O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias

Posted: 03 Jul 2016 04:02 PM PDT

Resenhas feita pela Lary

O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias!

 Optei por fazer mini resenhas por que a edição compreende todos os cinco livros, e mesmo quem se interesse iria ficar um pouco intimidado por cinco resenhas normais.



O Guia do Mochileiro das Galáxias - Douglas Adams
Arqueiro - 2010 - 160 páginas
Nota:50
Apesar haver muitas resenhas sobre este livro, não se enganem, nenhuma dela será suficientemente esclarecedora ou fará jus á obra, assim como está que estou escrevendo agora. O primeiro livro da "trilogia de quatro livros que na verdade são cinco" é tão completo e maravilhoso que torna muito difícil fazer sua descrição. A trama principal segue o humano Arthur Dent ( o mais chato e previsível possível - feito para representar a imensa anormalidade da trama e firmar para os leitores um ponto de partida neutro e elucidado ) que insiste para que sua casa não seja demolida em prol de uma rodovia, para descobrir no mesmo dia que o planeta todo foi destruído em prol de uma rodovia intergalática e que ele só foi salvo por que seu amigo Ford Prefect era um alienígena infiltrado e também um mochileiro que o ajuda a pegar uma carona na nave espacial dos Vogons - os alienígenas que destruíram a Terra, e que são burocratas. Confuso? Pois é, mas absurdamente divertido e inteligente. O livro é recheado de críticas a sociedade, a política, burocracia, a religião, ciência, estudiosos, a rotina humana e até ao senso normal das coisas. Tudo isso é feito abusando da ironia, do humor e do sarcasmo, em uma história tão bem construida que virou um clássico de ficção científica. Você irá aproveitar muito mais a leitura se for uma pessoa antenada, mas não perde absolutamente nada se não for, ainda vai entender as piadas e críticas no geral. Se você ainda não leu, eu imploro desesperadamente que pegue sua toalha e vá ler!
A toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. Em parte devido a seu valor prático: você pode usar a toalha como agasalho quando atravessar as frias luas de Beta de Jagla; pode deitar-se sobre ela nas reluzentes praias de areia marmórea de Santragino V, respirando os inebriantes vapores marítimos... Porém o mais importante é o imenso valor psicológico da toalha. Por algum motivo, quando um estrito (isto é, um não-mochileiro) descobre que um mochileiro tem uma toalha, ele automaticamente conclui que ele tem também escova de dentes, esponja, sabonete, lata de biscoitos, garrafinha de aguardente, bússola, mapa, barbante, repelente, capa de chuva, traje espacial, etc, etc.


O Restaurante no Fim do Universo - Douglas Adams
Arqueiro - 2010 - 176 páginas
Nota:48
Vamos lá, o que vocês preferem? Devorar um suculento bife de um boi, que está ao seu lado se oferecendo para o seu jantar ou se embriagar com uma bebida chamada Dinamite Pangalática - que causa quase o efeito de uma lobotomia - nos dois casos assistindo o momento exato em que todo o universo chega ao seu fim?  Apesar de ser uma continuação do primeiro e de ter o mesmo objetivo, de várias formas esse livro toma caminhos muito diferentes, referente a trama - é como andar, andar , andar, não sair do lugar e se ver um local completamente diferente do qual você iniciou. Ainda a procura do Criador do Universo, para descobrir a pergunta fundamental ( por que já temos a resposta! Leia no primeiro livro), nosso grupo estaciona a famosa nave Coração de Ouro - que tem como combustível a improbabilidade, no Restaurante do Fim do Universo, só que acontecem coisas ainda mais inesperadas do que assistir ao fim do mundo comendo um delicioso jantar. O livro segue a mesma construção e narrativa do interior, esbanjando humor, ironia e críticas de forma natural e fluida. Ele recebeu muitas críticas negativas ao longo dos anos, ele pode realmente parecer enrolado em alguns momentos, mas tenho pra mim que isso se deu por conta da trama principal, esse era o objetivo, e não deixou de ser interessante e inteligente.

Existe uma teoria que diz que, se um dia alguém descobrir exatamente para que serve o Universo e por que ele esta aqui, ele desaparecerá instantaneamente e será substituído por algo ainda mais estranho e inexplicável. Existe uma segunda teoria que diz que isso já aconteceu.
A Vida, o Universo e Tudo - Douglas Adams
Arqueiro - 2010 - 160 páginas
Nota: 44
Tido como um livro mais denso e um pouco mais difícil de ler, eu fui devagar com a leitura, e me surpreendi, não concordei com a opinião geral - temos sim algumas diferenças na escrita, ela aborda assuntos diferentes, como xenofobia, preconceito, vingança, alguns aspectos de espiritualidade como karma e reencarnação. Apesar de a crítica ser maior e mais profunda ela é sutil, sendo necessário aos mais desavisados concentração e tato para percebe-las, o livro ainda mantêm sim o humor e a trama criativa, minha única ressalva é que a leitura se tornou mais devagar, um pouco arrastada - ele aborda diversas nuances de viagem no tempo e demorei um pouco mais para terminar, não por nao entender, mas sim por me cansar. Ainda é um livro muito bom e delicioso e novamente absurdamente inteligente. Ah e não se engane com o título, talvez ainda não seja agora que termos a resposta para a pergunta e a resposta fundamentais!

42 É a resposta para a vida, o universo e tudo mais...
Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes! - Douglas Adams
Arqueiro - 2010 - 142 páginas
Nota:35
Aqui pra mim é onde a "porca torce o rabo", o autor se voltou para uma temática muito diferente na minha opinião - o livro é praticamente um romance, e um chato na verdade...apesar de gostar da Fenny. Além disso a trama se passa quase que somente na terra, abrindo questões mais sobrenaturais do que intergaláticas e acabando por não concluir nenhuma. Alguns personagens somem, sem explicação aparente e o autor parece esconder todos os defeitinhos com humor já comum dá série. Depois de ler e pesquisar sobre o assunto, descobri que o autor estava sendo pressionado pelo editor para concluir o livro e que nem mesmo ele gostou do resultado final - ele também desenvolveu um enorme amor (que antes era quase ódio) por tecnologia e computadores, e isso fica aparente durante a leitura. O livro de forma algum é ruim, e eu gosto de romance, mas comparado aos anteriores deixou a desejar.


Para a sua incrédula surpresa, estava escrito na placa: Meu outro carro também é um Porsche.


Praticamente Inofensiva - Douglas Adams
Arqueiro - 2010 - 192 páginas
Nota: 28
Não sei definir meus sentimentos para com esse livro. Ele parece ignorar quase que completamente os acontecimentos do anterior, Arthur, se encontra em um planeta mais do que perdido com o cargo de "fazedor de sanduíches" e para melhorar parece feliz com isso, finalmente temos Trillian de volta e com uma notícia realmente surpreendente e a abordagem do autor para Ford nessa edição foi irritante, ele parecia estar ali para tapar o buraco. Tive a mesma impressão que no anterior, que o livro foi terminado as pressas e pior do que isso, que o autor se perdeu - tentou tanto dar a esse último livro um desfecho interessante e dentro da arquitetura dos anteriores (com humor, críticas e muita criatividade) que decepcionou e muito na trama e no resultado final. Apesar disso, o último acontecimento do livro foi... inesperado e tão certo! Só depois de ler que percebi ser o único desfecho possível, mesmo que frustrante. Os dois últimos livros se desviaram um pouco no caminho, mas, a série como um todo é maravilhosa e inovadora, ainda recomendo para que todos leiam e releiam!

-Agora você vê - disse o pássaro - Agora não vê mais.

Resenha - Não Fale Com Estranhos

Posted: 02 Jul 2016 07:00 PM PDT



Resenha feita pela Maay!  
Título: Não Fale Com Estranhos
Título Original: The Stranger 
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Ano: 2016
Saiba mais: Skoob
Comprar: Amazon // Submarino

Um bom livro, mas não o melhor do autor.

SinopseO estranho aparece do nada e, com poucas palavras, destrói o mundo de Adam Price. Sua identidade é desconhecida. Suas motivações são obscuras. Mas suas revelações são dolorosamente incontestáveis.
Adam levava uma vida dos sonhos ao lado da esposa, Corinne, e dos dois filhos. Quando o estranho o aborda para contar um segredo estarrecedor sobre sua esposa, ele percebe a fragilidade do sonho que construiu: teria sido tudo uma grande mentira?
Assombrado pela dúvida, Adam decide confrontar Corinne, e a imagem de perfeição que criou em torno dela começa a ruir. Ao investigar a história por conta própria, acaba se envolvendo num universo sombrio repleto de mentiras, chantagens e assassinatos.
Intrigante e perturbador, Não Fale Com Estranhos é mais que um suspense de tirar o fôlego. É uma reflexão sobre o bem e o mal, o amor e o ódio, o certo e o errado, os segredos, as mentiras e suas consequências devastadoras.

A Trama: Pelo amor de deus, ignorem a sinopse. A única parte que faz sentido ali, é que um estranho aparece do nada e conta um segredo de Corinne, sua esposa, para Adam. 
Corinne sequer nega o segredo que o estranho revelou para o marido, então não é essa história que ele resolve investigar por conta própria. O que o protagonista realmente investiga é o "desaparecimento" da esposa logo após ele confronta-la com a verdade. Desaparecimento, entre aspas, porque antes de sumir no mundo, ela lhe mandou uma mensagem pedindo um tempo. Então, apesar de todas as circunstâncias estranhas, ele sequer tem certeza se algo realmente aconteceu ou ela está apenas fugindo da verdade. 
Enfim, paralelamente a essa investigação de Adam, temos "O Estranho", uma espécie de justiceiro que revela os segredos das pessoas (óbvio, que ganhando algo em troca, porque né...) e um policial bem suspeito. Logicamente, em dado momento da trama, essas histórias se cruzam. Mas até lá... Meu querido leitor, se prepare para sequer respirar durante a leitura

O ProtagonistaAdam é um bom personagem, mas não é um grande personagem. Ficou confuso, eu sei. Digamos que você não vai amar o livro por causa dele, o que vai te fazer virar a noite lendo é a trama em si, e todo o suspense e mistério que a envolvem. Os personagens só estão ali porque um quebra-cabeças precisa de peças. 

Os Personagens Secundários: Como de regra, o livro foca no suspense principal, e os personagens secundários acabam sendo um pouco mais superficiais. Ainda assim, no meu modo estranho de ser e pensar, Chris Taylor conseguiu fazer com que eu torcesse por ele - e vocês podem não estar entendendo o que quero dizer, mas leiam o livro que fica mais fácil.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa segue o mesmo estilo dos outros livros do autor e combina bastante com o livro, mas não é daquelas que irão te fazer "comprar o livro pela capa".
A escrita de Coben é aquela coisa absurda que todos os seus leitores conhecem e quem ainda não é seu leitor pelo menos já ouviu falar, os capítulos tem sempre aquele gancho cruel que te deixam desesperado para começar o próximo e descobrir o que irá acontecer. Só que aí o próximo também acaba de uma forma que irá torturar seu cérebro, então você começa mais um. E assim vai, e quando você se dá conta, são 4h da manhã e o livro acabou. 

ConcluindoGosto muito de Harlan Coben. É aquela aposta segura, sabem? Sei que, ainda que o livro não se torne um dos favoritos, ele vai me prender durante a leitura - e vamos combinar, thrillers servem para isso mesmo, então ele cumpre seu papel. 
Minha única ressalva é que, se você ainda não conhece o autor, ele tem livros que irão causar uma melhor primeira impressão - por exemplo, Não Conte a Ninguém, que é meu favorito dele. 


Classificação:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Badge